Cruz Peregrina
da JMJ

A cruz de madeira, hoje conhecida como “Cruz da Jornada Mundial da Juventude” foi feita em 1983 por ocasião do início do Ano Santo da Redenção (25 de março de 1983 a 22 de abril de 1984). Durante a celebração de abertura do Ano Santo, os jovens entraram com a cruz na Basílica de São Pedro, onde permaneceu durante todo o jubileu. Foi colocada junto ao sepulcro de São Pedro e esteve presente nas celebrações, acompanhando os grupos de peregrinos que visitavam o Vaticano. Entre eles não faltaram os jovens: representantes dos movimentos e comunidades que, juntos, responderam ao convite do Santo Padre. Foram eles quem pediram ao Papa que, depois de finalizadas as celebrações, lhes entregasse a cruz. O Santo Padre atendeu ao pedido e, no Domingo da Ressurreição, entregou aos jovens a Cruz do Jubileu.


A primeira JMJ se celebrou num Domingo de Ramos


Este acontecimiento fue el comienzo no sólo de la peregrinación de la cruz por todo el mundo, sino también del anuncio de la Jornada Mundial de la Juventud, es decir, el encuentro durante el cual los jóvenes que en primer lugar experimentan personalmente el misterio de la Redención del hombre y luego la llevan por el mundo a sus contemporáneos, familias y compatriotas. Por eso, la primera Jornada Mundial de la Juventud (hasta hoy la Jornada de la Juventud en las diócesis) se celebró el Domingo de Ramos, como entrada de la Pascua.

Início


No princípio os jovens levaram a cruz para casa, ou melhor dizendo, ao Centro de São Lourenço, a casa dos jovens fundada por São João Paulo II no Vaticano. A cruz ficou na casa de modo permanente e era de lá que partia, levada pelos jovens nas viagens. Primeiro, foi levada ao Dia dos Católicos na Alemanha (1984) e depois a outros países europeus.
 
 
 

Fatos Importantes la Cruz

A cruz já esteve em todos os continentes, inclusive em países em guerra e conflito.
Junto a ela se rezou no lugar do ataque ao World Trade Center em Nova Iorque e também.
Em Ruanda, que sofria com os efeitos da sangrenta guerra civil.
A cruz já visitou a sede da ONU, mas também escolas pequenas, hospitais e prisões.
 

Ícone De Nossa Senhora Salus Populi Romani


O ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani é concernente à imagem da Virgem de maior devoção na Itália.
O nome “Protetora do povo romano” remonta sua origem aos acontecimentos do final do século VI, quando os habitantes de Roma sofriam por causa de uma peste.

Primeira aparição na JMJ



Três anos depois, durante a Jornada Mundial da Juventude celebrada a nível diocesano, o Papa animava os jovens para que se aproximassem mais de Jesus por meio de sua mãe. Em sua homilia da Jornada Mundial da Juventude de 2003 disse:
“A Virgem Maria nos é dada para ajudar-nos a entrar em um contato mais sincero e pessoal com Jesus. Com seu exemplo, ela nos ensina a olhar com amor a Ele, que nos amou primeiro”.

A Jornada Mundial da Juventude é acompanhada por seus símbolos:


No ano 590, o Papa Gregório Magno levava a imagem da Virgem Protetora do Povo Romano (Salus Populi Romani), conduzindo uma procissão suplicante pela salvação da cidade. Em certo momento, o Papa teve uma visão de um anjo no céu, que estava escondendo a espada do castigo. Pouco tempo depois, a peste cessou.
Hoje em dia, o ícone original se encontra na Basílica Santa Maria Maior. O Papa Francisco costuma começar e terminar suas peregrinações visitando a Basílica.
O Papa João Paulo II presenteou a juventude com a réplica do ícone para que viajasse junto com a cruz por todo o mundo. Ao mesmo tempo, com este gesto, comunicou sua herança: o lema “Totus Tuus”, que significa Todo Teu (todo de Maria) e que se transmite às seguintes gerações de jovens com a ajuda de Nossa Senhora “da Jornada Mundial da Juventude”.
Em 1987 a II Jornada Mundial da Juventude aconteceu em Buenos Aires, primeira vez fora da Itália. Naquela ocasião, pela primeira vez se levou a Cruz para fora da Europa, tendo início sua peregrinação por todo o mundo.
No Domingo de Ramos de 9 de abril de 2017, em Roma, o Papa Francisco entregou os símbolos aos jovens panamenhos e assim começou a peregrinação da cruz e do ícone pelas dioceses do Panamá e posteriormente por outros países da América.
 

Peregrinação dos símbolos ao vivo

Este mapa parece melhor com o Google Chrome